Tecnologias sociais, seus usos e significados: a experiência do Catálogo de Tecnologias Sociais da Universidade Federal Fluminense

  • Luciane Patricio Barbosa Martins DSP/INEAC/UFF
  • Ludmila Rodrigues Antunes DSP/INEAC/UFF
  • Esther Pinho da Silva PPGA/UFF
  • Evelyn Lopes Pereira da Silva DSP/INEAC/UFF

Resumen

O presente artigo busca oferecer uma contribuição teórico metodológica para os estudos sociais da ciência e tecnologia a partir da análise dos usos e significados atribuídos às tecnologias sociais. Este trabalho se valeu da análise das experiências de tecnologia social desenvolvidas na Universidade Federal Fluminense e registradas no Catálogo de Tecnologias Sociais 2017, publicação que registra as iniciativas e projetos (de ensino, extensão, ou inovação) desenvolvidos em interlocução com a sociedade, que se propõe a construir produtos, processos e/ou metodologias e buscam responder a um problema social. A partir dessa análise, procuramos perceber os múltiplos sentidos atribuídos às tecnologias sociais e refletir sobre as possíveis razões que informam seus diferentes usos.

Citas

ALBUQUERQUE, Lynaldo Cavalcanti de. Tecnologias Sociais ou Tecnologias Apropriadas? O Resgate de um Termo. In: OTTERLOO, Aldalice [et al.] orgs. Tecnologias Sociais: caminhos para a sustentabilidade. Brasília: RTS, 2009. p. 14-23.

BAUMGARTEN, Maíra; MACIEL, Maria Lucia; SOBRAL, Fernanda. Ciência, Tecnologia e inovação social. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 1-10, mar. 2017.

BIGNETTI, Luiz Paulo. As inovações sociais: uma incursão por ideias, tendências e focos de pesquisa. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 47, n. 1, p. 3-14, jan./abr. 2011.

BRASIL. LEI N° 10.683, DE 28 DE MAIO DE 2003. Dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios, e dá outras providências. Brasília, DF.

BRASIL. DECRETO N° 4.764, DE 24 DE JUNHO DE 2003. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Ministério do Trabalho e Emprego, e dá outras providências. Brasília, DF.

BRASIL. PL. N° 111/2011, DE 15 DE OUTUBRO DE 2015. Institui a Política Nacional de Tecnologia Social. Brasília, DF.

BRASIL. PL. N° 3329/2015, DE 15 DE OUTUBRO DE 2015. Institui a Política Nacional de Tecnologia Social. Brasília, DF.

DAGNINO, R. (Org.). Tecnologia Social: ferramenta para construir outra sociedade. Campinas. São Paulo. UNICAMP, 2009.

DAGNINO, R; BAGATTOLLI, C [et. al]. Como transformar a tecnologia social em política pública?. In: DAGNINO, R. (Org.). Tecnologia Social: ferramenta para construir outra sociedade. Campinas. São Paulo. UNICAMP, 2009.

DIAS, Rafael De Brito. Tecnologia social e desenvolvimento local: reflexões a partir da análise do programa um milhão de cisternas. Revista brasileira de desenvolvimento regional, Blumenau, v. 1, n. 2, p. 173-189, set. 2013.

DUQUE, Thais Oliveira; VALADÃO, José De Arimatéia Dias. Abordagens teóricas de tecnologia social no brasil. Pensamento Contemporâneo em Administração, Rio de janeiro , v. 11, n. 5, p. 1-19, out./dez. 2017.

ETZKOWITZ, H. & CHUNYAN ZHOU. Hélice Tríplice: inovação e empreendedorismo universidade-indústria-governo. Estud. Av. vol. 31 no. 90. São Paulo. May/Aug. 2017.

FRANÇA FILHO, G.C., LAVILLE, J.L. Economia Solidária: Uma abordagem Internacional. Porto Alegre: Editora da UFRJ, 2004.

GARCIA, S. G. A tecnologia social como alternativa para a reorientação da economia. Estudos Avançados. V. 28, n. 82, p. 251-275, 2014.

HULGARD, L.; FERRARINI, A. Inovação social: rumo a uma mudança experimental na política pública?. Ciências Sociais Unisinos, v. 46, n. 3, p. 256-263, 23 dez. 2010.

MACIEL, Ana Lúcia Suárez; FERNANDES, Rosa Maria Castilhos. Tecnologias sociais: interface com as políticas públicas e o Serviço Social. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 105, p. 146-165, Mar. 2011.

MARTINS, Luciane Patricio B; SILVA, Esther P; SILVA, Evelyn Lopes P. Catálogo de Tecnologias Sociais (org.). N.1 Volume 1, UFF, 2017.

MEDEIROS, C. B. de et al. Inovação social além da tecnologia social: constructos em discussão. Race, Joaçaba, v. 16, n. 3, p. 957-982, set./dez. 2017.

MUKENDI, J, ; WELCHEN, V.; FOLCHINI L, ; MACHADO,V.; DALLE MOLLE, F., CANDATEN, L; . COMIN, J.; CHAIS, C.; MONTEIRO,V; GANZER, P. P; PRODANOV, C.; DORION, E; MUNHOZ OLEA, P. (2017) Inovação Social nas Ciências Sociais: Uma Análise Bibliométrica de 2007 à 2017; XVII de IC, UCS, outubro de 2017.

OLIVEIRA, E. M. Empreendedorismo social no Brasil: atual configuração, perspectivas e desafios – notas introdutórias. Revista FAE, Blumenau, v. 7, n. 2, p. 9-18, 2004.

PREMEBIDA, A; NEVES, F. M.; ALMEIDA, J. Estudos sociais em ciência e tecnologia e suas distintas abordagens. Sociologias, Porto Alegre, v. 13, n. 26, p. 22-42, jan./abr. 2011.

RODRIGUES, I.; BARBIERI, J. C. A emergência da tecnologia social: revisitando o movimento da tecnologia apropriada como estratégia de desenvolvimento sustentável. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 6, p. 1069-1094, 2008.

SINGER, P. O que é economia? 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2003.

Publicado
2020-01-29
Cómo citar
Barbosa Martins, L. P., Rodrigues Antunes, L., Pinho da Silva, E., & Lopes Pereira da Silva, E. (2020). Tecnologias sociais, seus usos e significados: a experiência do Catálogo de Tecnologias Sociais da Universidade Federal Fluminense. Revista Internacional De Tecnología, Ciencia Y Sociedad, 8(2), pp. 97-109. Recuperado a partir de https://journals.eagora.org/revTECHNO/article/view/2168
Sección
Artículos