Usando jogos de empresas para realizar pesquisas científicas

  • Felipe Pusanovsky de Barros Fundação Técnico Educacional Souza Marques
  • Marco Aurélio Carino Bouzada Universidade Estácio de Sá
Palabras clave: Estoques, Jogos de empresas, Participação de mercado, Pesquisas científicas, Resultados financeiros

Resumen

Este trabalho tem como objetivo demonstrar a viabilidade do uso de resultados de aplicações de um jogo de empresas - BR-Log - para fins de pesquisas científicas, através de um exemplo que testa estatisticamente as relações entre as seguintes variáveis que envolvem atividades de operação e Logística: Resultados financeiros, Market share e Níveis de estoque.

Citas

Alves, P. V. (2015). Jogos e simulações de empresas. Rio de Janeiro: Alta Books.

Arbache, F. (2015) As angústias da Gestão de Estoque. Recuperado em 11 de junho, 2015, de http://www.arbache.com/blog/wp-content/uploads/2015/02/Apostila-V2N.pdf.

Ballou, R. H. (2001). Gerenciamento da cadeia de suprimentos (4a ed.). Porto Alegre: Bookman.

— (2012). Logística empresarial: transportes, administração de materiais, distribuição física. São Paulo: Atlas.

Bouzada, M. A. C. (2001) Um jogo de Logística genuinamente brasileiro. Recuperado em 18 de julho, 2015, de http://www.coppead.ufrj.br/upload/publicacoes/Marco_Bouzada.pdf.

— (2012). Um Jogo de Logística Pode Ajudar na Assimilação dos Conceitos da Disciplina? Usando o Laboratório de Logística para Ajudar a Responder. Recuperado em 18 de junho, 2015, http://www2.espm.br/sites/default/files/pagina/artigo_marco_aurelio_casi_2012.pdf.

— (2013). O impacto da estratégia de centralização de estoques: uma análise em um laboratório de logística. Recuperado em 13 de abril, 2015, de http://revistas.una.br/index.php/reuna/article/view/526.

— (2015a). Laboratório de logística: testando a relação nível de serviço versus preço de venda. Recuperado em 24 de junho, 2015, de https://www.casnav.mar.mil.br/spolm.

— (2015b). Laboratório de logística: testando o tradeoff de compras. Recuperado em 24 de junho, 2015, de https://www.casnav.mar.mil.br/spolm.

— (2015c). Laboratório de logística: uma proposta de metodologia de pesquisa. Recuperado em 29 de maio, 2015, de http://revistas.es.estacio.br/index.php/gestaocontemporanea.

Bouzada, M. A. C. & Saliby, E. (2009). Um jogo de Logística genuinamente brasileiro. Revista ADM.MADE, 13(3), 60-73.

Barros, F. P. (2016). Laboratório de logística: simulando o desempenho de empresas por meio de um business game. Dissertação de Mestrado, Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Bowen, D. D. (1987). A theory of experimental learning. Simulation & Games, 18(2), 192-206.

Bowersox, D. J. Closs, D. J., Cooper, M. B. & Bowersox, J. C. (2014). Gestão Logística da cadeia de suprimentos. (4a ed.) Porto Alegre: AMGH.

Chopra, S. & Meindl, P. (2003). Gerenciamento da cadeia de suprimentos. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Davis, J., Eisenhardt, K., & Bingham, C. (2007).Developing theory through simulation methods. Academy of Management Review, 32(2), 480-499.

Davis, M. M,; Aquilano, N. J., & Chase, R. B. (2001). Fundamentos da administração da produção. (3a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Kotler, P., Keller, K. L. (2006). Administração de marketing. (12a ed.) São Paulo: Pearson.

Lemos, M. (2011). Decisões de preço em jogos de empresas: o estudo das elasticidades e do ponto de equilíbrio como ferramentas de apoio à decisão. Revista LAGOS – UFF, 1(2), 1-16.

Levi, D. S., Kaminsky P., & Levi E. S. (2010). Cadeia de suprimentos projeto e gestão. (3a ed.) Porto Alegre: Artmed.

Oliveira, M., & Alves, C. (2012). Política de Preços no Desempenho de Empresas: um estudo com simulador organizacional de estratégia. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 7(1), 140-155.

Ribeiro, R. (2012, outubro)Planejamento da produção para atender a demanda com minimização de custos em um jogo de empresas. Anais do XV Seminário de Administração da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Rosas, A. (2006). Modelo conceitual de jogos de empresas para empreendedores do século XXI. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil.

Rosas, A., & Sauaia, A. C. A. (2006, setembro). Jogos de Empresa na educação superior no Brasil. 30 Encontro Nacional da ANPAD, Salvador, BA, Brasil.

Sauaia, A. C. A. (s/d). Conhecimento versus desempenho das organizações: um estudo empírico com jogos de empresas. Recuperado em 19 de junho, 2015, de http://www.seer.ufrgs.br/read/article/viewFile/40368/25645..

— (2008). Laboratório de gestão: simulador organizacional, jogo de empresas e pesquisa aplicada. Barueri: Manole.

Silva, S., & Sauaia, A. (2012, dezembro). Avaliação do previsto x realizado num Jogo de Empresas. 1 Congresso de Administração, Sociedade e Inovação, Volta Redonda, RJ, Brasil.

Slack, N.. Johnston, R. & Chambers, S. (2002). Administração da produção. (2a ed.) São Paulo: Atlas.

Urdan, F. T., & Urdan, A. T. (2006). Gestão do Composto de Marketing. São Paulo: Atlas.

Publicado
2020-06-19
Cómo citar
Pusanovsky de Barros, F., & Carino Bouzada, M. A. (2020). Usando jogos de empresas para realizar pesquisas científicas. Revista Internacional De Tecnología, Ciencia Y Sociedad, 9(1), pp. 1-15. https://doi.org/10.37467/gka-revtechno.v9.2048
Sección
Artículos