Workers Party, a Conservative Workers Party?

Keywords: Workers Party, Institutionality, State, Ideological Position, Lula

Abstract

The hypothesis that is intended to be verified is whether there is in the PT an assimilation of this institutionality that was previously criticized, but which is now reconciled to it, that is, if there is a transformation in the Workers Party with such an environmental change. (Couto, 1995) “A change that can help the party move from a position with a state-level institutional order contestant to another” (p.23).

Author Biography

Marcelo Maurício Morais, Pontifícia Universidade católica de São Paulo (PUCSP)
Formação Acadêmica: Doutorando em Ciências Sociais (PUC-SP); Mestre em Ciências Sociais (PUC-SP), Pós-graduado (especialização) em História, Sociedade e Cultura pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Pós-Graduando em Ciência Política pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP- trancado) e, graduação em Ciências Sociais pelo Centro Universitário Assunção (2009). Qualificação profissional: Atuação na coordenação Pedagógica do Ensino Superior na área de Serviço Social, com mais de 10 anos de experiência na área educacional como professor do Ensino Superior, Médio, Profissionalizante e Curso Pré-Vestibular nas disciplinas de Política Social I, Introdução à Sociologia, Sociologia Contemporânea e Economia Política, Sociologia das Organizações, Ética e Responsabilidade Social e Filosofia nos Cursos de Serviço Social, Direito e Administração. Docente em Sociologia, Geografia Humana, Filosofia e Coordenador em Cursinho Popular Pré-Universitário. No Ensino Médio atua como Professor de Sociologia e História. Professor responsável pelas pastas de Antropologia Jurídica, Ciência Política e Sociologia Geral e Jurídica no curso de Direito do Grupo Educacional Uniesp, Unidade Centro Velho São Paulo de 2011 a 2014. Secretário Estadual de Formação Política e Social do Partido Trabalhista Nacional. Professor dos Cursos de Gestor de Projeto Social e Educador Social no SENAC-SP como prestador de serviço. Leciona nos cursos de Agente Cultural e Agente de Desenvolvimento Socioambiental da Obra Social Dom Bosco - Itaquera. Participação em entrevistas feitas em veículos de mídia virtual debatendo assuntos referentes à política nacional. Bem como participação em mesas redondas, Congressos e Seminários Nacionais e Internacionais de Ciência Política e Sociologia. Atualmente presta consultoria política a partidos, candidatos e empresas como também identifica e analisa editais públicos e privados nacionais e internacionais com aderência a causa de Ongs; elabora projetos e faz a submissão destes editais, com ênfase no território apontado pelo edital. Apontamento de características econômicas e sociais da comunidade bem como, identifica a vulnerabilidade social das famílias segundo dados de órgãos oficiais legitimando dessa forma o projeto. Preenchimento de planilha de gestão de projetos, avaliação, correção, monitoramento e análise de impacto social do projeto identificando a melhoria da qualidade de vida do público alvo que passou pelo projeto social. Preenchimento de formulários, e afins e envio para futuros parceiros e captação de recursos.

References

ABRANCHES, Sérgio. Presidencialismo de Coalizão: O Dilema Institucional Brasileiro. DADOS, vol. 31, n. 1, Iuperj, Rio de Janeiro, 1988.

AMARAL, Oswaldo M. E. Do. As mudanças no PT: um estudo dos programas de Governo de 1989 e 1998. São Paulo, 2002. 132 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais - PEPG em Ciências Sociais, PUC-SP, 2002.

AVRITEZ, Leonardo. Sociedade civil: instituições participativas e representação: da autorização à legitimidade de ação. Dados – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 50, n. 3, p. 443-467, 2007.

AZEVEDO, Clóvis Bueno. A estrela partida ao meio. São Paulo. Entrelinhas. 1995.

BOITO JUNIOR, A. Burguesia e neoliberalismo no Brasil. PUCviva Revista, São Paulo, v. 1, n.5, p. 3-5, 2003.

____. A hegemonia neoliberal no governo Lula. Crítica Marxista (São Paulo), Rio de Janeiro, v. 17, p. 9-35, 2003.

____. A burguesia no Governo Lula. Crítica Marxista (São Paulo), Rio de Janeiro, v. 21, p. 52-77, 2005.

____, O Lulismo é um tipo de bonapartismo? Uma crítica as teses de André Singer. Miolo_Rev_. Critica_Marxista-37. 2013.

____. As bases políticas do neodesenvolvimentismo. PIMSA, v. 15, p. 209-227, 2014.

CAMPELLO DE SOUZA, Maria do Carmo. Estado e Partidos Políticos no Brasil. São Paulo: Alfa-Ômega. 1978.

CHAUÍ, Marilena. Leituras da crise: Diálogos sobre o PT, a democracia brasileira e o socialismo. São Paulo, Ed. Fundação Perseu Abramo, 2006.

COUTO, Claudio Gonçalves; ABRUCIO, Fernando Luiz. A Dialética da Mudança: O PT se confronta com a institucionalidade”. São Paulo. Cedec, mimeo. 1992.

_____. O desafio de ser governo: O PT na prefeitura de São Paulo (1989-1992). Rio de Janeiro. Paz e Terra. 1995. (Couto, 1995)

DUVERGER, Maurice. Os Partidos Políticos. Rio de Janeiro: Zahar. 1970.

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder. Porto Alegre. Editora Globo, 1958.

FURTADO, Celso. A Formação Econômica do Brasil. São Paulo. Nacional. 1967.

GENRO, Luciana & ROBAINA, Roberto. A Falência do PT e Atualidade da Luta Socialista. Porto Alegre: L&. PM. 2006.

IANNI, Octávio. Política e Revolução no Brasil, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1965.

KICHHEIMER, Otto. "the transformation of the western european party systems", in lapalombara, joseph & weiner, myron (orgs.). political parties and political development. princeton: new jersey: princeton university press. 1966.

KECK, Margaret E. “O novo sindicalismo” na transição brasileira”. In STEPAN, Alfred, Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro. Paz e Terra. 1988.

____, Margaret E. A Lógica da diferença: o Partido dos Trabalhadores na construção da democracia brasileira. São Paulo. Ática. 1991.

LAZZARINI, Sérgio. Capitalismo de Laços. Os donos do Brasil e Suas Conexões. 2ed. – São Paulo: BEI Comunicação, 2018.

MENEGUELLO, Rachel. PT: A Formação de um Partido, 1979-1982. Rio de Janeiro:Paz e Terra, 1989.

_____. Partidos e Governo no Brasil Contemporâneo (1985-1997). São Paulo: Paz e Terra, 1998.

PANEBIANCO, Angelo. Modelos de Partido. São Paulo: Martins Fontes. 2005.

PRZEWORSKI, A. Capitalismo e social-democracia. São Paulo: Companhia das Letras. 1995.

SINGER, André. Raízes Sociais e Ideológicas do Lulismo. In Revista Novos Estudos n° 85. CEBRAP. 2009.

Published
2020-05-15
How to Cite
Morais, M. M. (2020). Workers Party, a Conservative Workers Party?. SOCIALreview. International Social Sciences Review / Revista Internacional De Ciencias Sociales, 9(1), pp. 41-55. https://doi.org/10.37467/gka-revsocial.v9.2336
Section
Articles